Você está aqui: Página Inicial > Picui > Notícias > 2020 > 07 > Maratona de inovação tem professor do IFPB como mentor

Noticia

Maratona de inovação tem professor do IFPB como mentor

Docente do Campus Picuí orienta equipes no Innovathon Brasil 2020, evento mundial sobre sustentabilidade nos oceanos
por Ana Carolina Abiahy publicado: 01/07/2020 17h36 última modificação: 01/07/2020 17h39

Uma maratona mundial de soluções inovadoras para a sustentabilidade dos oceanos está com sua etapa brasileira acontecendo e tem um professor do Instituto Federal da Paraíba como mentor das equipes. Alberto Gustavo Paashaus Junior, docente do Campus Picuí do IFPB, é um dos mentores da Innovathon Brasil 2020, evento criado pelo CEiiA (Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produtos) de Portugal, em conjunto com a Organização das Nações Unidas (ONU). O objetivo é encontrar soluções técnicas e operacionais criativas e viáveis para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Cada país tem sua etapa e os vencedores se credenciam para a final mundial promovida pelo CEiiA e o Pacto Global das Nações Unidas. A etapa brasileira começou em 27 de junho e vai até 4 de julho. O tema desse ano é a qualidade de vida, produtividade e melhoria da sustentabilidade dos oceanos, convergentes com o Reboot the Ocean Challenge. No Brasil, a Mauá Ventures e a NSC são os organizadores do evento. As equipes são formadas por estudantes de graduação, com quatro a seis integrantes.

Devido a pandemia, todo o evento está sendo realizado online. São 22 equipes e o desafio de Alberto Gustavo e dos demais mentores é encontrar os melhores modelos de negócios inovadores nessa temática ambiental. Alberto Gustavo é professor da área de Gestão de Negócios e já foi pesquisador convidado do Núcleo Estruturante de Políticas de Inovação da Setec/MEC.  

Alberto explica que as equipes ficaram dois dias internados desenvolvendo a solução e finalizando com um vídeo-apresentação. A fase agora é a de análise para definir as cinco melhores soluções que podem participar da Innovathon Mundial, em Portugual, que foi adiada, provavelmente para junho de 2021.

“Fui mentor na área de negócios e tinha uma equipe apadrinhada, que foi do curso de Oceanografia da UFPE, mas era chamado para dar consultoria em qualquer outra equipe em modelo de negócios. Existiam consultores específicos para a área ambiental, outros para a “venda” da solução. Esse é o modelo, bem interdisciplinar”, explicou Alberto. Segundo ele, as equipes também eram de cursos de diversas áreas, o que provocou um diálogo interessante, mostrando como a solução na área ambiental depende do engajamento de múltiplos setores.

O professor explica que essa foi a primeira versão do evento feita totalmente online. Na avaliação de Alberto, o modelo funciona perfeitamente para estimular nos estudantes a potencialidade empreendedora. “Toda a estrutura tecnológica funcionou perfeitamente, apesar de ser bem cansativo. Tinham ideias muito boas pra controle de lixo e esgoto despejados no mar, de controle seguro para embarcações. Sobre diminuição de resíduos sólidos, de controle ambiental. E além disso, é um aprendizado para muitos estudantes que só tinham uma visão acadêmica para encontrar novos posicionamentos sobre a inovação, o mercado, e os modelos de negócios e uma forma de desenvolver as soluções inovadoras encontradas, já que entre os mentores há muita gente do mercado”, comentou o docente do IFPB Picuí.

Texto: Ana Carolina Abiahy – jornalista do IFPB / Foto: Alberto Paashaus

registrado em: